[Pitaco] Realizando um sonho de infância com Pokémon, o Filme: Eu Escolho Você!

“Sabem quem eu sou? Eu sou Ash Ketchum, da cidade de Pallet, e estou predestinado a ser o mestre Pokémon número um do mundo!”

Foi dessa maneira que fui recepcionado por Pokémon, o Filme: Eu Escolho Você!, que será exibido em 5 e 6 de novembro em salas selecionadas ao redor do planeta, graças a uma parceria entre a Pokémon Company International e a Fathom Events. Por aqui, foram escolhidas as redes UCI, Cinemark e Cinépolis (clique nos links para ver as sessões disponíveis em seu estado).

Por um capricho de Arceus, me perguntaram se gostaria de assisti-lo na semana passada em um evento para jornalistas. O convite veio de maneira inesperada, ainda mais porque a novidade só ficará em cartaz em um domingo e uma segunda, mas é claro que aceitei. O motivo você vai descobrir alguns parágrafos a seguir. Aguente firme.

Todos os anos, através do Pikachu Project, a franquia lança um ou dois longas-metragens, geralmente adotando como tema o lendário da vez. As animações, no entanto, acabam restritas a sessões no Japão.

Felizmente elas atravessam os oceanos. Porém, perdem um pouco de força pois vão direto para as telas menores, seja no Cartoon Network ou na Netflix. Por isso, me empolguei quando soube que Eu Escolho Você! invadiria, mesmo que por pouco tempo, os cinemas da Europa e das Américas.

Cena-01

Por mais que pareça que a palavra Nintendo esteja escrita na minha testa, eu tenho as “minhas falhas”. Eu nunca vi uma aventura de Ash e sua turma diante de uma telona e um balde de pipoca. A verdade é que sempre tive simpatia pela franquia, mas a paixão arrebatadora veio muito tempo depois, quando tive um contato melhor com os games. Aí sim descobri o que era viciar em um jogo.

Em 1999, quando o anime estreou no Eliana & Alegria, na Record, eu me divertia com as trapalhadas de Psyduck e sabia que aquilo seria um fenômeno. Contudo, era como se não fosse para mim. O velho aqui tinha 14 anos na época. Quem curtiu aquilo tudo − como fiz anos antes com Power Rangers −, foi um dos meus primos mais novos, que até fez um aniversário temático. Está aí um papo para outra ocasião…

Cena-02
Por consequência, nas férias de janeiro de 2000 não prestigiei Pokémon, o Filme: Mewtwo Contra-Ataca. E não prestigiei Pokémon, o Filme 2000: O Poder de Um nas férias de julho do mesmo ano. Me recordo das filas extensas porque o único shopping com cinema da cidade, onde sempre batia cartão, ficava exatamente no meu bairro.

Até hoje, um sábado (4/11), não sei o que é receber, na entrada da sala de exibição, um card promocional de Estampas Ilustradas alusivo ao evento, como rolava no passado. Para a nossa alegria, essa é outra conquista que será concretizada.

Pokemon_Filme_Card_Copag

Vou honrar meu ingresso e assentirei novamente à aventura no domingo (5/11), mas agora como fã. A parte mais legal do repeteco é que o público receberá uma Estampa Ilustrada de Pikachu, impressa pela Copag, na qual o rato elétrico usa o boné de Ketchum. Fim da história triste, vamos ao que interessa.

Sob a batuta de Kunihiko Yuyama, que dirigiu praticamente todos os curtas e longas da franquia, Pokémon, o Filme: Eu Escolho Você! é uma homenagem aos 20 anos de uma febre que não cessa. Os monstrinhos de bolso nasceram em 1996 no Japão e, em 2018, será o momento de celebrar os 20 anos da chegada deles ao Ocidente.

Cena-03

Por mais que os jogos para os portáteis da Nintendo sejam a base de tudo, boa parte do marco histórico se deve à versão animada. Não poderia haver um cartão de visitas tão “superefetivo” como esse. O filme o revisita, reescrevendo então os capítulos iniciais. Alguns estão chamando isso de realidade alternativa. Pode até ser, porém essa discussão não leva a nada.

Como se não o conhecêssemos, somos apresentados ao garoto mais famoso da cidade de Pallet, aquele que sonha em ser o maior de todos os treinadores Pokémon. Apesar da empolgação, Ash acorda atrasado para seu grande dia. Ao completar (seus eternos) dez anos, ele conseguiu a licença para iniciar sua jornada por Kanto e outras regiões na companhia de um monstrinho.

Cena-04

No entanto, Squirtle, Charmander e Bulbassauro − a série originalmente aportuguesou o nome Bulbasaur e o filme resgatou isso −, foram parar nas mãos de novatos madrugadores. Meio desconfortável, Professor Carvalho oferece uma quarta opção. O problema é que Pikachu não é mais gordinho, mas continua arisco e não quer ficar guardado em sua Pokébola. E nem adiantar dar ordens, pois sabe se defender muito bem. E da maneira mais chocante!

Eu Escolho Você!, além de ser o nome do longa-metragem, é também o nome do episódio piloto da série. E, não por acaso, a grande sacada acontece exatamente após o primeiro dos inúmeros testes de afinidade da dupla. A compaixão mútua é selada pela aparição de Ho-Oh. No desenho, a cena é um belo encerramento para o capítulo inaugural. Aqui é o eixo narrativo.

Cena-05

O treinador parte em uma missão para descobrir quem é aquele lendário que o presenteou com a Asa Arco-íris, que nada mais é do que uma pena mágica. E aí ele conhece Vera e seu Piplup (geração IV), Sérgio e seu Lucario (geração IV) e Cruz e seu Incineroar (geração VII).

Os garotos fazem as vezes de Misty, Brock e Gary. E aqui fica a minha dica: saia de casa com o coração aberto para as mudanças. Você vai notar ausências de personagens primordiais e até incluo a PokéAgenda nessa lista. Outros aparecerão, contudo não terão um papel tão decisivo.

Cena-06

Lembre-se, estamos diante de uma homenagem, é como se Ash encarasse tal aventura antes de encontrar a líder do ginásio de Cerulean, fato que acontece na metade do primeiro capítulo do anime. Mas, para não dizer que esse e outros velhos camaradas foram esquecidos, assista tudo até o final. Ou seja, não ignore os créditos finais.

Sem entrar em mais detalhes do enredo, já basta o que contei até agora, a fita surpreende ao tocar em assuntos delicados para crianças, não apela para efeitos especiais complexos e não perde tempo com reviravoltas. Bem, há um pouco de pieguice em certos trechos que se encaixa no contexto. A mensagem que se passa é pura e simples: não somos nada sem nossas amizades e precisamos valorizá-las.

Pokemon_Filme_Cartaz

Claro que a segunda camada da aventura também diverte, principalmente por colocar o treinador batalhando contra criaturas de gerações mais recentes, com destaque para o estreante Marshadow, fantasma mítico de Alola que tem uma ligação direta com o pássaro lendário de Johto.

Ex-editor da revista oficial da Nintendo durante sete anos, sou a pessoa mais suspeita para resenhar Pokémon, o Filme: Eu Escolho Você! Mas deixando o corporativismo de lado, é possível dar um pitaco final. O longa-metragem não é o melhor da franquia, se você levar em consideração o conteúdo em si. Tudo é meio que esperado, até porque algumas cenas são repetições do que já vimos inúmeras vezes na televisão. Ainda assim, é um bálsamo (sempre quis usar essa palavra em um texto).

Mais do que realizar um desejo de fã que parecia impossível, nos levando então de volta aos cinemas como nos anos 2000, o retorno ao início da saga é daqueles exercícios de reflexão. Você viaja junto, tira memórias do baú, lembra do álbum de figurinhas da Panini, dos bonequinhos sortidos do Guaraná Antarctica Caçulinha e dos cards e Tazos da Elma Chips. Não há nada melhor do que se dar conta que você teve uma infância feliz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: