Algumas pessoas vieram me perguntar sobre essa história dos jogos para Nintendo Switch e Nintendo 3DS que serão comercializados no Brasil. Eu não costumo meter o bedelho nessas questões, mas, de vez em quando, é legal se posicionar. Trabalho direta e intensamente com o assunto há sete anos.

A questão é simples. Tomados os devidos cuidados, qualquer empresa do ramo pode fazer isso. Aliás, pode vender por quanto, onde e como quiser. Isso não aconteceria antes de 2015 por aqui, pois havia uma distribuidora contratada exclusivamente para tal. 

Estou dando esse pitaco porque há muita polêmica ao redor de algo comum, bem trivial. Apenas uma distribuidora comprou um lote de jogos da Nintendo e vai vendê-lo em suas lojas e deve repassar parte dele para suas parceiras.

Os games estão classificados. Ótimo! Para isso, basta reunir vídeos e screens do conteúdo e preencher um formulário cedido pelo Ministério da Justiça.

Vale lembrar que o mesmo já aconteceu com os amiibo. Uns bonecos da coleção de Smash Bros. vieram para cá, foram vendidos e nunca mais foram importados. Abração e se cuidem!

* Pitaco publicado em 26 de maio de 2017 originalmente na minha página pessoal do Facebook. Gostei tanto que botei aqui.